RETALHOS

marcante_irina-ionesco.jpg 

(eus, elas e eles, nesta colcha da vida … cada pedacinho uma estampa )

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: 

Ela chegou estampada entre as cores daquela saia. Que saia, quantas cores!?? Aonde ela havia conseguido tanta euforia?

Eu não podia acreditar naquela mulher, me sentia injustiçada. Alguém que como eu, trabalhava oito horas, dia após dia, religiosamente de sol a sol, e à noite ainda exibia aquela vivacidade, um sorriso contagiante e convidativo que espalhava encantamento misturado aos passos que a traziam até nossa mesa. Eu estava exausta, mortificada. Mas porquê, me perguntava. Motivos, tenho poucos. Tenho um marido com quem divido os afazeres diários e também a cama, que ultimamente tem sido muito mais um campo de batalha do que palco de qualquer outro embate mais satisfatório; chego em casa e quero sumir entre os lençóis, queria tanto que ele nem me visse, virasse para o outro lado e dormisse, eventualmente uma dor de cabeça por vezes se faz necessária.

E ela?! É uma máquina de fazer, faz tudo só, cuida dos filhos, vaí à oficina, ao médico, ao mercado, ao banco, leva e traz de escolas, reuniões de trabalho… Tudo! Sozinha! E à noite ainda este sorriso arrasa quarteirão… Linda, gostosa, fogosa, sorridente.

Ok! Mas quer saber? Mesmo assim , apesar de toda exuberância, frescor e alegria, ela também se queixa. É solteira, não tem parceiro fixo, tem sempre muita disposição, variedade e diversificação nas suas noites, escassas em quantidade, mas fartas de qualidade.

O que falta? Ela quer um namorado, um parceiro, alguém mais constante.

Chego à conclusão que pessoas nunca estão satisfeitas com o que têm.

Após vários drinks queixam-se as duas da falta e dos excessos. Vá entender as mulheres, Freud tentou … tentamos até hoje.

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Eu estava cansada de ser boa, compreensiva, benevolente. Tudo bem, está certo que fiz anos e anos de terapia, mas qual é? Cansei, não quero entender que você é um cara mal resolvido, medroso e imprevisível. Ah, quero voltar aos meus dias de ignorância e ainda crer que os homens são todos uns machos muito corajosos que encaram tudo de peito aberto e sem medo. Não entendo porque você tem tantos receios e foge da intensidade da vida. Porque escolhe se acomodar e viver uma vidinha mais ou menos? Que covardia é esta? E aí, você não leu todos aqueles contos de fadas? Oh, por favor não me decepcione, decepe a cabeça dos dragões, mate as bruxas, assalte minhas noites, salve-me desta torre de isolamento e solidão e carregue-me em seu corcel negro ou então arraste-me pelos cabelos. 

O quê? Precisa de certezas? Quer saber se sou apenas sua e se serei sempre cegamente fiel? Que dúvida … Se és meu príncipe, certamente serei sua princesa!

Após idas e vindas, lá estão os dois outra vez aos beijos, mas passou da meia noite e a carruagem de abóbora já se desfez. 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Noite alta, música estridente, bebida alucinante e aquela fumaça pairando no ar já havia criado uma certa confusão mais que bem vinda em minha cabeça e eu olhava ao redor. Minhas amigas, todas, riam e olhavam para a mesma direção. Sim, ele era lindo, um metro e noventa de pura gostosura e deleite, músculos bem definidos, daqueles que se adquire naturalmente, pele negra brilhante, olhos mais ainda e um sorriso de desmontar a mais forte das criaturas. Sem imaginar tamanho rebuliço, ele aproximou-se por causa de um amigo em comum. Todas em alvoroço, várias investidas discretas em sua direção. Calada, eu observava seus gestos, seu olhar, seus mais sutis movimentos. De repente ele me encara e sorri. Sem chance de pensar eu recebi seu beijo. Boca macia que pressionava a minha sem chance de fuga. Simplesmente degustamo-nos e ele me puxou para dançar.

Todas me olhavam atônitas e iradas, eu sorria alegremente de volta e me perdia no meio da multidão que dançava freneticamente embalada por um som ensurdecedor. Corpos quentes e suados, misturados e desejosos de outro calor. Suas mãos me puxam e sua voz me pede para sair dali. Ele quer me levar, mas acaba sendo levado por mim; nego todos os seus pedidos e imponho os meus desejos. Ele se deixa conduzir e dominar, quando percebe já está dentro do meu carro completamente seduzido pelos apelos do meu corpo e pelo calor da noite.

Linda criatura esculpida em ébano derretendo feito lava ardente sobre mim, obediente e eficiente. Fartos e saciados nos olhamos ainda colados um ao outro e sorrindo da situação inusitada ele reclama que eu havia roubado o seu papel.

Ligo o carro e me dirijo de volta à festa, abro a porta do carro e me despeço com um beijo molhado, enquanto ele sorrindo entre satisfeito e surpreso, me entregando seu cartão, me diz enfático: “Geralmente quem faz isso sou eu… gostei de você, me liga… mesmo!”

Príncipes e sapos temos por aí aos montes. Para que ser princesa se podemos ser Rainha?

(foto: Irina Ionesco)

Comments
7 Responses to “RETALHOS”
  1. Ricardo Rayol disse:

    Um grande retalho… Não podemos ter tudo mas o que se faz quando apontamos o dedo e dizemos que ele tem uma vidinha mais ou menos? O que fazemos para mudar isso? Devemos compartilhar tudo, nada mais sacal que desempenhar papéis pré-estabelecidos sabe-se lá por quem. Não que devamos nos acomodar mas compartilhar é um exercício interessante que motiva irmos em frente. Só reclamar que a vida nao entrega tudo é fácil, difícl é mudar hábitos e procurar outros coaminhos. Obrigado pelo voto, continue votando todo dia 🙂

  2. elisabetecunha disse:

    Seus textos passam tanta sensualidade…uau!!!
    Vc deve ser uma mulher muito sexy!!
    beijos

  3. Fugu F. disse:

    Menina … parece que você resolveu bater tudo no liquidificador e ver o que saía do jarro … rsrsrs Saiu, como sempre, a mulher sensual e urbana que nos encanta. Mas quero fazer dois comentários, a respeito dos dois primeiros textos:
    1) Tanto casados quanto solteiros têm seus dias de paraíso e seus dias de inferno. Não existe uma “condição civil” melhor do que outra. E tanto quando estamos casadas quanto quando estamos solteiras, precisamos, sim, cuidar do nosso astral como quem cuida de uma flor. Bom humor é fundamental, dá luz, vigor e faz bem à pele … rsrsrs
    2) Não acredito em homens confusos, medrosos e inseguros. Isso é pura balela. O que existe é o homem que, infelizmente, não está apaixonado pela gente … rsrsrs Fazer o quê? Levantar o queixo e seguir em frente .. rrsrsrs
    beijo você, lindinha!

  4. Urban disse:

    Fugu, concordo contigo na sua segunda observação, é assim mesmo que funciona.
    Qto ao post, não esqueça, são só momentos, flashs da vida!

  5. Ricardo Rayol disse:

    E vim de volta aqui. Quero deixar um grande beijo pra você pelo dia da mulher. Desejso de felicidades e encontros, nós desatados e desatinos realizados. 🙂

  6. pequenosdelitos disse:

    Por um instante, tive a sensação de estar vendo um filme. Um filme bem editado, com cortes perfeitos, transbordante de sensualidade.

    Gosto de ver como tudo isso flui de você.

  7. Cantábile disse:

    Ola!
    Não tenho comentado, mas passo sempre por aqui.
    gostei muito dessa “retalhada” toda. A vida é assim mesmo. Como bem disse o Ricardo, temos de mudar o que nos incomoda. Ou pelo menos tentar.
    Imagina que monotonia se fosse tudo como desejamos?
    beijos e até

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • DENUNCIE


  • SEXO E RESPEITO



  • COMPRAS

%d blogueiros gostam disto: